quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Ameaças, processos e ofensas não incomodam, mas usar a categoria.....



Meu blog não poderá mais estar na lista de indicações do site do CREF1,  apesar do irrestrito apoio do Presidente André Fernandes dizendo que os veículos de comunicação da Educação Física não devem ser censurados e de que a liberdade de expressão é um dos pilares da democracia, tenho que proteger os colegas que estão sendo discriminados pelo Sistema CONFEF/CREFs.

As piadas, indiretas e ofensas a esse blogueiro não incomodam, pelo contrário fortalecem, me chamar de “fogo amigo”, “velhinho”, e iniciar uma campanha contra mim também não vai calar esse idoso professor. Ameaças de processo não vão fazer com que eu pare, porque escrevo a verdade, mas usar o poder do sistema CONFEF/CREFs para prejudicar os profissionais do Rio de Janeiro é covardia, e isso sim me faz recuar.

Talvez estejamos passando pelo pior momento da Educação Física brasileira, depois de 30 anos subordinada à ditadura militar, hoje estamos subservientes, acomodados, e reféns de dirigentes que usam o poder em benefício próprio, se eternizando nos cargos, e nada, nada mesmo, fazem pelos profissionais que labutam diariamente para sobreviver decentemente com suas famílias. 

Em 2014 estaremos isolados enviando essa coluna diretamente para você, além das publicações no meu blog, enquanto eu viver, enquanto o “velhinho” estiver vivo, estaremos lutando por instituições, Sindicatos e Conselhos comprometidos com a categoria profissional. 
 

FELIZ NATAL E UM 2014 CHEIO DE ALEGRIAS E REALIZAÇÕES EXTENSIVAS AOS SEUS FAMILIARES!


Ernani Contursi
O Velhinho

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

CREF1 segue decisão judicial sobre multar academias

O Conselho Regional de Educação Física da 1ª Região RJ/ES (CREF1) publicou uma nota, no dia 28/11, em seu site divulgando a sentença favorável ao CREF1 quanto ao Mandado de Segurança impetrado pela ACAD contra o Conselho.

O Mandado que visava anular a Resolução CREF1 076/2012 e cancelar todas as multas expedidas contra Pessoa Jurídica foi julgado IMPROCEDENTE, ratificando o correto posicionamento do CREF1, como destacou o presidente André Fernandes.

A sentença afirma ainda que para que não haja a incidência da multa, basta as academias não cometerem irregularidades que coloquem em risco a vida dos usuários.

Segue abaixo a conclusão resumida  do Juiz:

Resumindo, a Resolução 076/2012, do CREF-1, que dispõe sobre as multas a serem aplicadas nos casos de irregularidades referentes ao exercício profissional, por decorrer do legitimo exercício do poder de polícia delegado na Lei Federal 9696/98, não é abusiva, ou arbitraria e, por esse motivo, não fere direito liquido e certo dos associados da impetrante.( sic)

ISTO POSTO, JULGO IMPROCEDENTE O PEDIDO E DENEGO A SEGURANÇA, confirmando a decisão denegatória da liminar. ( sic )

P.R.I., inclusive o CREF-1. Oficie-se à autoridade coatora. Oficie-se à Relatora do Agravo de instrumento 2013.02.01.009397-9, Desembargadora Federal Maria Helena Cisne. Dê-se ciência ao MPF.

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Orgulho de ser Profissional de Educação Física

Virou tradição todo penúltimo final de semana de novembro o CREF1  reúne  seus filiados numa Assembleia Geral para prestar contas do ano em vigor, e apresentar o plano de ação com orçamento do ano vindouro. Realizada, no dia 23 de novembro, em Mangaratiba a Assembleia contou com profissionais de todos os segmentos da Educação Física.

Foram 185 colegas, atuantes em academias, clubes, fitness, escolinhas esportivas, Educação Física Escolar, Secretarias de Esporte, profissionais que trabalham em projetos sociais, coordenadores e docentes de faculdades, gestores esportivos, treinadores de todos os esportes, e pela primeira vez, oito colegas do Espírito Santo,  enfim  todos os segmentos da nossa profissão estiverem presentes, confinados durante três dias, discutindo as ações  de 2013 e planejando 2014....

Foi cansativo, desgastante, com muitas reuniões de grupos, de Câmaras e comissões, culminando na apresentação do orçamento, com a abertura de cada item, sem esconder nada, cada rubrica foi discutida, cada despesa foi apresentada, num processo democrático, mantendo a  transparência do nosso Conselho junto à  categoria.

Depois de muitas discussões foram feitas as alterações aprovadas em Plenária, e ficou decidido que o orçamento será levado aos  colaboradores das 03 sedes e 05 postos do CREF1 no Estado do Rio de Janeiro, até o final do corrente ano...

Destacamos que no dia 07 de dezembro de 2013 vai ser realizada a Assembleia Geral do Espírito Santo...

Apesar do excesso de horas de trabalho, com reuniões demoradas - e muitas posições até certo ponto radicais - conseguimos chegar a pontos comuns e definir nossas ações para o próximo ano, ressaltando que estiveram presentes na Assembleia, profissionais que ralam 12, 13 horas por dia, trabalham dia após dia em praças públicas, vilas olímpicas e escolas, academias. Isso mesmo, colegas do dia a dia, que não têm holofotes nas suas aulas, status, revistas ou propagandas, esse era o perfil da grande maioria dos presentes, que discutiram o plano de ação de 2014.

Criticamos muito as ações dos CREFs, mas tenho que enfatizar que senti muito orgulho de ser Profissional de Educação Física, de ser veterano, ou como alguns me chamam, o velhinho da Educação Física, pois é, talvez pela idade, esse Professor Velhinho ficou muito cansado com a maratona dessa Assembleia, mas com o coração radiante, feliz, orgulhoso de ser registrado no CREF1 - o Conselho Regional de Educação Física do Rio de Janeiro e do Espírito Santo.


segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Por que estão acabando as aulas de ginástica nas academias?


É fato, os equipamentos de musculação e cardio ocupam 90% dos espaços nas academias, na grande maioria 100% dos espaços.....Por quê ??? Será que é única e exclusivamente devido ao marketing  das indústrias ???? Será que é devido à moda do treinamento personalizado ou ao custo benefício??? Ou faltam Profissionais capacitados para atividades coletivas?
As faculdades também não preparam adequadamente para o mercado de ginástica ???  Será que transformaram a ginástica em dancinhas e coreografias?  Será que é devido ao mercado de enlatados de “métodos”, entre aspas mesmo ?? Será que transformaram as atividades coletivas em uma grande palhaçada de movimentos que estão mais para Big Brother do que para condicionamento físico? Será que tudo hoje não passa de estratégias de vendas de produtos, escamoteados como atividade coletiva???..........Será, será, será, será......que estamos assistindo o fim da ginástica localizada nas academias???
Vamos deixar esse segmento de mercado ser ocupado por animadores que fazem um cursinho de venda, e ocupam esse espaço???..
O que os CREFs, o CONFEF, as faculdades, as APEFs, e principalmente nós estamos fazendo para evitar o fim da ginástica nas academias no Brasil?
Acessem o vídeo do grupo A VERDADE SOBRE DA EDUCAÇÃO FÍSICA e digam vocês mesmos!
 

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Verdade sobre a Educação Física

Exageros à parte, será que essa é a nossa realidade no Conselho Federal de Educação Física????  Nada diferente da realidade brasileira!!! Esse grupo, que está no Facebook, “Verdade sobre a Educação Física”, e que também tem um canal no Youtube está expondo as feridas da Educação Física em todos segmentos e fica evidente nesse vídeo o que os profissionais pensam do seu Conselho.....Vejam o vídeo:

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Querem calar a Educação Física

A pressão foi sentida pelos dirigentes, querem calar esse blogueiro. É sempre assim quando os trabalhadores decidem lutar, e essas lutas desagradam aos dirigentes, e seus projetos obtusos e até escusos, que imperam na Educação Física.....

Vou continuar dizendo o que penso, porque acredito no que faço e é importante que todos façam o que devem fazer.


segunda-feira, 4 de novembro de 2013

"Eu odeio meu professor de Educação Física"

Assistam e reflitam nossa atuação na Educação Física Escolar....aconteceu em São Paulo, mas pode ser nossa realidade em todo Brasil.....está bobando nas redes.....


quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Como será que eles decidem nosso piso salarial?

 Finalmente foi aberta a discussão sobre o piso dos Profissionais de Educação Física no segmento de academias, clubes e similares....Minha posição é que somos escravizados em todo Brasil. Hoje a realidade nesse mercado é de escravidão...paga-se uma quantia na carteira, que podemos classificar como vergonhosa, e outra quantia por fora,...parece até contravenção, mas é pior, é sonegação fiscal, é regime escravocrata.......

Somos reféns de um Sistema CONFEF/CREFs onde seus dirigentes conseguiram um status e colocaram, como diz os cariocas “o boi na sombra”, ganham mais com diárias e ajuda de custo no Conselho Federal do que trabalhando. E os nossos Sindicatos???? Esses são pelegos, na maioria  formados por conselheiros do próprio Sistema, e assim seguimos no círculo vicioso, 99% dos Profissionais de Educação Física ralam, trabalham de 10 a 12 horas por dia com salários extorsivos, aviltantes....e nossos pseudo dirigentes desfrutam das mordomias do poder.

Clique aqui e veja o vídeo.








segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Até o mercado publicitário debocha e esculhamba a nossa profissão

Agora carregamos definitivamente  essa “mancha”, e aí o que fazer??? Por que continuamos a incentivar esse serviço? Por que não questionamos esse modelo? Por que  não exigimos uma especialização para moralizar esse serviço??? E eu pergunto mais uma vez PORQUE TODOS SE CALAM com essa inserção publicitária nas redes de televisão em horário nobre???? Afinal de contas para que serve o Sistema CONFEF/CREFs? Onde são aplicados os 14 milhões de faturamento anual do CONFEF???

Mais grave é que até a categoria não reage contra essas publicidades que destacam exceções e ofendem toda uma categoria, e nada, nada , nada mesmo, é como nada tivesse acontecido.......só pra citar um exemplo, coloque essa mesma propaganda com um médico, enfermeiro, engenheiro, advogado, ah! Com essa profissões ninguém brinca, ninguém ofende.....afinal de contas eles têm Conselho...nós temos uns oportunistas que se apoderaram do nosso Conselho, são os donos do CONFEF e dos CREFs...

Esse velho professor, ainda fica revoltado quando a propaganda de uma geladeira vincula Personal Training como pegador, conquistador......Isso dói, isso machuca, só me resta perguntar:

QUAL SERÁ A PRÓXIMA PIADA COM A EDUCAÇÃO FISICA.????







terça-feira, 22 de outubro de 2013

Educação Física: esse é o nosso futuro?

É preciso discutir, nos cursos de graduação, o mercado de trabalho com os alunos...mas do que discutir é necessário abrir debates sobre nossa intervenção na Educação Física do amanhã. Só no Rio de Janeiro são mais de 53 faculdades que colocam no mercado três mil novos profissionais por ano.....a alienação somada à omissão projeta uma categoria refém das profissões de ponta na saúde. Vejam esse vídeo e reflitam:

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Vamos dar um basta ao trabalho escravo na Educação Física!

Uma realidade no Rio de Janeiro,  uma categoria refém dos donos de academias que subjugam o professor,....claro que tem exceções, com  academias que não são filiadas a esse grupo ACAD, que prestam serviços de saúde a população. Temos academias que pagam dignamente seus funcionários, repito são exceções.....será que essa forma camuflada de "trabalho escravo"...é uma realidade em todo Brasil??? Será???

O CREF1 que luta isolado, inclusive contra o CONFEF que apoia a Acad, busca apoio dos demais CREFs que respondem com a omissão (silêncio) ou quando provocados dizem que salários, trabalho escravo e regime de trabalho é missão dos Sindicatos!!!

Todos os Conselhos profissionais lutam por salários e condições de trabalho dignas para sua categoria, vide medicina “Quanto vale um Medico”, Engenharia, Enfermagem, Psicologia, ...todas as categorias lutam e se unem pela valorização profissional......

Só com participação e com união é que mudaremos a nossa profissão.....precisamos dar um basta ao trabalho escravo na Educação Física...Vejam o vídeo e constatem a realidade:

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Só nos resta continuar lutando

Nossa luta é difícil, recebo dezenas de e-mails de colegas reclamando, e outros tantos me ofendendo, uns porque quero discutir o tema, e outros por eu fazer parte do Sistema CONFEF/CREFs.....em ambos não me sinto ofendido, compreendo a revolta, e até ser expulso do Sistema vou continuar defendendo a galera que labuta, os colegas que lutam pela sobrevivência e que fazem a nossa profissão...

Mas temos que ser racionais, o MEC/CNE, o CONFEF, os CREFs, e centenas de Profissionais de Educação Física que respeito muito e também labutam no dia a dia são favoráveis à manutenção da separação em bacharelado e licenciatura, ponto, é direito de todos, vivemos numa democracia....
Eu continuo e ainda não fui convencido....essa separação só prejudicou e bagunçou o mercado de trabalho, quem é quem no mercado, quem pode trabalhar com esporte vinculado à competição e iniciação esportiva desde que seja vinculado à escola...hum??? então essas milhares de escolinhas que funcionam dentro das escolas podem ter bacharelado???.

Vejam o que recebemos do CONFEF, que está sendo multiplicado pelos CREFs: 

“De todo o exposto, conclui-se que, conforme o marco legal e normativo atual, o curso de Educação Física pôde ser ofertado nas modalidades bacharelado e licenciatura plena conjuntamente, de forma regular, até findo o prazo máximo para a adequação das Diretrizes Nacionais de Cursos (DCNs) determinado pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), ou seja, até 15/10/2005. Portanto, compreende-se que apenas os alunos ingressantes até a data de 15/10/2005 nos cursos de Educação Física estariam aptos a obter a graduação de “Bacharel e Licenciado em Educação Física”; sendo que, após essa data, as modalidades do curso de Educação Física passaram a representar graduações distintas.

Outrossim, conclui-se que temas relacionados ao exercício profissional são de competência dos Conselhos Profissionais, enquanto temas relacionados à formação acadêmica, regulação e supervisão da educação competem a este Ministério da Educação”. (Ministério da Educação - Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior)

Veja o documento na íntegra ao fim dessa postagem. Dê um clique no documento para visualizar melhor!

É isso, uma luta difícil, de um lado os poderosos com a caneta, do outro lado os profissionais de Educação Física.....só me resta continuar lutando, enquanto houver esperanças.....



quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Saiu a sentença da divisão Licenciatura e Bacharelado


Não tenho nenhuma dúvida do apoio do CONFEF e dos CREFs (com exceção do CREF1 que queria discutir o tema com a categoria) sobre a resolução do CNE/MEC que dividiu a nossa profissão em bacharelado e licenciatura......

Também não tenho nenhuma dúvida que o CONFEF e os Conselhos Regionais também por razões que desconheço e talvez até escusas , nada fizeram e nada estão fazendo contra a resolução 07/10 que retirou os Profissionais de Educação Física das aulas do 1º ao 5º ano do ensino fundamental.
Mas, tenho que reconhecer que esse tipo de critica nesse vídeo é o retrato fiel da imagem que a categoria tem do seu Conselho.

“Se continuar essa bagunça eu vou tirar as turmas do 1º ao 5º ano dos professores de Educação Física e entregar pras professores regentes, o que você acha?“
 

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Nossos dirigentes viraram nossos patrões

Os Profissionais de Educação Física estão desiludidos com o rumo da nossa profissão. Todos queremos que nossas representações se unam e sejam atuantes, eficientes e honestas, investindo na valorização profissional, como consequência gerando mais empregos.

O pior  que poderá acontecer será a volta pura e simples ao status anterior, onde nem voz tínhamos, éramos uma profissão sem rumo....agora os rumos estão equivocados, ocuparam o poder das instituições e se tornaram patrões dos Profissionais de Educação Física....



A categoria deve se unir e pressionar os conselheiros dos CREFs, Secretarias de Educação, Secretarias de Esporte e os Sindicatos, para que incluam todos os trabalhadores num diálogo nacional....chega de opressão e discriminação com a Educação Física...os trabalhadores não podem ficar fora.

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Repercute mal a cédula de identidade para o Profissional de Educação Física....Acreditem é verdade

Não existe nada mais complicado, mal feito e até nebuloso, do que essa tabela de registro do CONFEF...Com certeza essa iniciativa, amparada e aprovada por todos conselheiros do Conselho Federal e por Presidentes de Crefs, repercute muito mal junto aos Profissionais de Educação Física - e nem poderia ser diferente face a notória falta de credibilidade dos atuais dirigentes.

Não sabemos ainda como conseguiram tamanha proeza, estão acabando com a nossa profissão, criaram formas e jeitinhos de todos terem o registro no Conselho, nossa cédula de identidade virou uma parafernália de títulos e atuações que mudam de acordo com os interesses e vaidades da Presidência do CONFEF.....Aonde vamos parar??

Leiam e constatem o documento oficial do CONFEF e dos Presidentes de Crefs às secretárias dos Conselhos Regionais......acreditem, é verdade. Segue a cópia fiel que tivemos acesso........

Dê um clique na imagem e veja os detalhes


segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Saga Licenciatura x Bacharelado....CONFEF se posiciona

Apesar de respeitar as posições contrárias, penso que o Sistema CONFEF/CREFs deveria abrir discussão sobre o tema. Afinal de contas são dezenas de ações e milhares de colegas contrários a essa resolução do CNE.......fica claro nessa mensagem enviada pelo presidente Jorge, que o CONFEF apoia e quer manter essa divisão, mesmo que toda categoria ou pelo menos 90% tenha posição diferente.....

Canso de repetir e registrar que esse argumento acadêmico está longe da realidade do mercado de
trabalho.....uma coisa é legislar nos gabinetes do Conselho Federal e do MEC com ar condicionado, secretária e todo luxo de um gabinete a outra é trabalhar nas academias, clubes e afins no dia a dia......

O profissional de Educação Física sai hoje da faculdade acreditando estar preparado para trabalhar e ministrar treinamentos, enquanto que no passado todos buscavam especialização após a graduação - o que é bem diferente hoje.

Eu proponho que os senhores saiam às ruas, saiam do conforto de seus gabinetes, escutem os trabalhadores, escutem os colegas, sejam menos arrogantes, menos ditadores, pelo menos façam um grande encontro para discutir o assunto......

Vejam na íntegra as considerações  do presidente do CONFEF, Jorge Stanhilber , enviado a todos Presidentes de Crefs  ao “site” denominado “Jus Navegandi”, contendo estudo sobre Licenciatura e Bacharelado em Educação Física.

“Agradecemos o envio da matéria e a socialização da mesma.
Hoje são inúmeras as doutrinas defendidas pela área jurídica. Observamos que no próprio STF existem posicionamentos conflitantes quanto à interpretação das leis e da Constituição.
A opinião é livre e cada um defende um ponto de vista ou opinião e defende suas convicções.
Na minha opinião o artigo deixa de levar em conta a principal questão defendida pelo Sistema CONFEF/CREFs, qual seja o direito da sociedade ser atendida por Profissionais qualificados nos serviços de exercícios físicos e esportivos.


O autor do artigo explicita e aponta que o CNE estabeleceu dois cursos distintos para formação profissional: cursos de licenciatura e cursos de bacharelado. Também informa que os cursos de licenciatura, de acordo com a entidade que possuiu a atribuição de legislar sobre ensino superior, é ESPECÍFICO para preparar Professores para atuar como docentes na Educação Básica. Ou seja que os cursos devem oferecer matriz curricular especifica para preparar professores para atuar na Educação Básica, oferecer conhecimentos para que os frequentadores desses cursos conheçam escola, alunos, interagir com as demais disciplinas preparando os jovens para a vida. Por conseguinte os estágios devem ser específicos em escolas (tanto em escolas públicas quanto privadas). Por conseguinte não estão acoplados os conhecimentos e vivências de estágio visando condicionamento físico, atuação em academias, SUS, hospitais, conhecimentos para prestar serviços com adultos, idosos, gestantes, portadores de Doenças Crônicas Não Transmissíveis e principalmente atuar na prevenção dessas doenças. 


Portanto, O Sistema CONFEF/CREFs, tem a obrigação de defender que os recursos humanos a altura da responsabilidade social para prestação de serviços qualificado e seguros devem ser os compatíveis com a formação adquirida nos bancos do ensino superior. Se o Brasil optou por duas formações para formação superior, não podemos cair na armadilha de assistir egressos de curso sem conhecimentos atuando em áreas para as quais não estão preparados sob o risco de sermos considerados incapazes ou incompetentes para intervenção segura.


Há pouco encaminhei reportagem do Jornal O Globo que aborda a questão da Formação de Professores, explicitando ser necessário sim uma formação para capacitar e bem preparar esses profissionais para contribuir para o desenvolvimento do Brasil. Sem educação é impossível para um país crescer e uma educação de qualidade requer Profissionais bem formados. Razão pela qual o CNE estabeleceu uma formação ESPECÍFICA para os Professores da Educação Básica.
Certamente outros advogados poderão escrever matéria e artigo defendendo a importância da sociedade ser atendida por profissionais de acordo com suas formações superiores para não colocar em risco a sociedade.


No artigo o autor acrescenta algumas ações nas quais os julgadores acompanham seu ponto de vista. Importante lembrar que inúmeros outros julgadores manifestaram-se em defesa da sociedade estabelecendo que os licenciados são sim Profissionais formados para atuar na Educação Básica”.
Abraços

Jorge Steinhilber

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Personal Training: se não mudar postura a imagem vai continuar se deteriorando.....

Vejam o que recebemos nas vésperas do aniversário de 15 anos da nossa profissão....é essa imagem que a sociedade aos poucos está fazendo do treinamento personalizado??? Quem pode mudar essa postura??? As faculdades que não estão orientando seus alunos sobre ética, mercado de trabalho e imagem da Educação Física como saúde???, o sistema CONFEF/CREFs que nada fazem pro trabalhador?? Os Sindicatos que se submetem aos patrões?? As academias que enxergam os Profissionais de Educação Física como descartáveis???? Ou nós mesmos que permitimos esse absurdo ?? Fico indignado quando fazem chacota com a Educação Física...

Cidade maravilhosa permite atividades físicas em troca de votos para políticos

O governo da cidade do Rio de Janeiro está tratando a Educação Física com total descaso, na verdade tudo que não seja projeto político para manipular a população e gerar votos são proibidos aqui no Rio de Janeiro. Quem não é obediente aos políticos é perseguido, têm seus programas esportivos suspensos o que prejudica quem trabalha sério cuidando da saúde e qualidade de vida do cidadão.

Insisto e peço aos colegas: vamos formar um frente parlamentar em todas as cidades! Sem representação política não vamos crescer como profissão....é uma vergonha para nós cariocas o que está acontecendo no estado. Segue na íntegra o apelo do colega ao prefeito do Rio de Janeiro:

 “Prezado Secretário Alexander Vieira da Costa e demais da lista, 

Venho, em nome da ATC-RJ (Associação de Treinadores de Corrida do Rio de Janeiro) da qual sou presidente, demonstrar o meu repúdio e perplexidade diante da atitude da qual fui submetido hoje, domingo, 25 de agosto de 2013.


As Assessorias de Corrida foram retiradas da Praia do Leblon neste domingo pela SEOP, através da sua fiscalização, com a alegação de não possuirmos o Alvará para funcionamento das mesmas. Apesar de estarmos munidos de um "Nada Opor" da Subprefeitura da Zona Sul, a fiscalização nos obrigou a desmontar nossas estruturas durante as atividades em andamento.


Durante aproximadamente seis anos, temos tentado um entendimento com os diversos órgãos competentes (SMEL, CLF, SEOP,RAs, Subprefeituras) para que possamos funcionar legalmente e sempre encontramos como resposta que nossos serviços são de relevância para a população, nossa cidade respira o esporte, somos uma cidade olímpica e etc...


Há pouco mais de um mês, obtivemos, através do CREF1 RJ, uma reunião na Secretaria da Casa Civil, com o Secretário Pedro Paulo e o Secretário Alexander Costa e alguns auxiliares dos mesmos, onde expomos nossas dificuldades e nosso desejo em regularizar a situação em toda a cidade do Rio de Janeiro. Ficou determinado que as Subprefeituras fariam um mapeamento inicial para posterior cadastramento e futura legalização das estruturas utilizadas, obedecendo as leis que regem o setor.


Hoje tive o desprazer de ter minha estrutura desmontada e ser humilhado perante dezenas de alunos que há anos me acompanham e confiam no meu trabalho. Tenho 32 anos de profissão, sou treinador de corrida há 27 anos e jamais passei por uma situação como esta. Participo de todas as reuniões das quais fui chamado e tenho contribuído sempre com sugestões e acatado as orientações dos órgãos públicos em suas solicitações.


Saliento que somos mais de 80 treinadores nesta situação, temos compromisso com nossos alunos e a sociedade. Precisamos do nosso trabalho, vamos lutar por nossos direitos e estamos, como sempre, dispostos ao diálogo e negociações.


Peço portanto, que os órgãos públicos envolvidos na questão, nos orientem no caminho de solução para esta causa”.
 

Atenciosamente,
MARCIUS DUARTE
PRESIDENTE ATC-RJ

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Será que nosso futuro está em risco?

A irresponsabilidade dos políticos de Brasília gera esse tipo de reação (veja o vídeo no meu blog)....Quando os dirigentes desse país, inclusive os da Educação Física vão ouvir a população ??? Quando teremos o Conselho Nacional de Educação (CNE) aparelhado com funcionários de carreira da Educação???

Não podemos ficar com conselheiros do CNE indicados por interesses políticos e muito menos o MEC deveria estar ocupado com militantes partidários poderosos!....Esse tipo de política mesquinha, fascista tem gerado revolta principalmente na juventude que vê seu futuro em risco com as pessoas que dirigem nosso país. Enquanto os marqueteiros tentam decifrar ainda, as mensagens emitidas pelas manifestações de ruas, os políticos, inclusive os da Educação Física, continuam surfando nas benesses criadas por eles mesmos e criando mais e mais mordomias.

 "Eu fiz Magistério e isso não me capacita a dar aula de Educação Física. Depois uma criança dessa se machuca vão botar a culpa em mim. Isso é um absurdo!".


segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Momento de reflexão ou revolta na Educação Física?

Vídeos questionando nossa atuação profissional estão bombando na internet. Enquanto isso se multiplicam, em todo Brasil, as ações na justiça federal questionando o sistema CONFEF/CREFs.
Numa visão fria, distante dos dirigentes que fazem de tudo para se perpetuarem no poder, vejo a revolta dos Profs. de Educação Física, dirigida à falta de politicas e atitudes que venham de encontro às necessidades da grande massa - os trabalhadores, professores que labutam dia após dia em jornadas de 12, 15 horas diárias e não têm apoio das instituições que os representam.....

Não podemos negar que a renda, não somente da nossa categoria , mas de todo trabalhador brasileiro, aumentou. Mas equívocos na condução da Educação Física se multiplicam...nada se faz em benefício do todo, mas sempre em benefício de alguns. E quem são esses alguns??? Os mesmos de sempre...e isso não muda........


Não estou citando apenas o Sistema CONFEF/CREFs, mas todas as representações, inclusive os sindicatos, que pasmem, na sua grande maioria são pelegos; das IEs que se calam com todas as ações danosas; dos estudantes que ainda fazem política da época da ditadura, e estão a serviço de partidos políticos, enfim, a onda de manifestações virtual está crescendo e não surgiu de repente.

Segue o link onde o vídeo foi publicado http://youtu.be/5v4FVU237ZI  

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Licenciado ganha o direito de atuar em academias de Pernambuco

Vejam a estratégia desse advogado: entrou na justiça questionando a resolução do CONFEF dizendo não à divisão de bacharelado e licenciatura do CNE. Mesmo assim, pelo menos na 1ª instância da Justiça Federal de Pernambuco conseguiram uma sentença favorável....se continuar assim vai ser uma enxurrada de ações de licenciados em Educação Física em todo Brasil....vejam a argumentação  resumida feita pelo próprio  advogado postada em rede como propaganda:

“Desde a divisão dos formados em Educação Física em Bacharéis e Licenciados, o Conselho Federal de Educação Física - CONFEF vem impondo, por meio de resoluções administrativas, restrições na área de atuação desses profissionais.

Um das resoluções mais questionadas, a Resolução 182/2009, impedia que os educadores licenciados pudessem exercer sua profissão em academias de ginástica, clubes ou na condição de "personal trainner", restringindo o seu campo de atuação às escolas de educação básica.
Esta resolução, com vigência em todo o País, vem sendo questionada em diversos Estados do Brasil através do Ministério Público Federal a exemplo do Estado de Goías onde está em vigor uma sentença do Juiz da 9ª Vara Federal, que na Ação Civil Pública promovida, autorizou a todos os licenciados naquele estado lecionarem também em academias.

Aqui em Pernambuco, o educador físico também pode mover ação individual para pleitear esse direito perante a Justiça Federal, foi o que aconteceu com Leonardo C. de A. D., licenciado em educação física desde 2010 pela xxxxxx, teve deferida em 09/07/2013, a seu favor, uma medida liminar autorizando-o a exercer livremente a sua profissão, não apenas no âmbito escolar, mas também em academias ou em qualquer outro ambiente.

Agora, uma nova decisão da Justiça Federal, de 22/07/2013, autorizou também a professora de pilates Danielly dos S. F., licenciada em eduação física pela xxxxxxx, a continuar exercendo sua função nos dois empregos que possui, um em uma famosa Academia do Recife e outro em um Clube de Natação.

A advogada dos dois casos, esclareceu que o juízes federais justificaram a concessão da medida no fato de que a Lei Federal que regulamenta a matéria (Lei 9.696/98) não fixa qualquer distinção entre o Educador Físico licenciado ou bacharel, não estabelecendo restrições ao profissional licenciado em Educação Física, exigindo, para o exercício legal da profissão, tão somente a posse do diploma em curso de Educação Física, autorizado e reconhecido, e a inscrição no Conselho Regional de Educação Física, não podendo normas inferiores, como é o caso das resoluções, extrapolar os limites da lei”.

Veja as discussões sobre a Educação Física também no Facebook!

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Vídeo mostra revolta de estudante

Mais um vídeo de protesto na internet! Assim, a Categoria, com o apoio dos estudantes, vai protestando de uma forma democrática contra a "divisão" da nossa profissão (em licenciatura e bacharelado)... Parece que não fui muito claro no último blog, mas, apesar de ser totalmente contrário à divisão da nossa profissão, apesar de ter exigido do sistema CONFEF/CREFs  que auscultasse a categoria, e entrasse na nossa luta para derrubar essa divisão, nunca fui escutado, sequer recebi resposta.

Com exceção do CREF1, contrário à divisão, o silêncio de todos os CREFs e do CONFEF, confirma o que todos já esperávamos: são todos a favor da divisão.

Portanto meus caros leitores, tenho que afirmar... CUMPRA-SE A LEI............ NÃO PODE PROFISSIONAL (PROFESSOR) DE EDUCAÇÃO FÍSICA COM FORMAÇÃO, APENAS, EM LICENCIATURA (CNE/CP 01 de 2002 e CNE/CP 02 de 2002) trabalhar em academias, clubes, escolinhas esportivas, treinamento e/ou similares. A formação acadêmica em licenciatura é exclusiva para ministrar aulas em escolas (Educação Física curricular) ou atividades de apoio a Projeto Pedagógico da Escola (Educação Física Escolar).

Vejam a revolta do estudante no vídeo que está acessível neste link também :












terça-feira, 23 de julho de 2013

Pode ou não pode licenciado trabalhar em academias, clubes e escolinhas esportivas?

Essa discussão parece que não tem fim, mas atendendo a solicitação dos colegas no Facebook esclareço que particularmente sempre fui contra a separação ou fatiamento da nossa formação acadêmica. Nada mudou no mercado de trabalho, pelo contrário, criou-se confusão e divisão na categoria......como tudo que acontece no Brasil, com a Educação Física não foi diferente, o MEC/CNE  por resolução dividiu nossa formação acadêmica em Licenciatura e Bacharelado sem consultar ninguém, sequer o mercado de trabalho.

Mas, temos que respeitar e tenho vários especialistas, amigos de verdade como Roberto Correa e Marcelo Costa dentre tantos que discordam e apoiam a resolução do MEC/CNE...
Isto posto, esclareço aos colegas que:

Os efeitos da decisão obtida pelo Ministério Público de Goiás em Ação Civil Pública contra o CREF-GO e CONFEF, só possuem validade na jurisdição do CREF-GO. Essa decisão não surte nenhum efeito nos demais estados do Brasil.

No âmbito do estado do Rio de Janeiro, tivemos mais de 200 ações judiciais, as liminares dos egressos de cursos de licenciatura foram negadas, os julgamentos em 1ª e 2ª instância foram improcedentes e os recursos para o STJ e STF não foram sequer admitidos...Cabe esclarecer que no início, o CREF1 perdeu  várias ações em 1ª instância, porém ganhou TODAS em 2ª instância, após esclarecimentos e memoriais com os Desembargadores Federais do Tribunal Regional da 2ª Região (TRF2) sobre o tema. Assim, após despachos e memoriais com os Juízes da comarca de Volta Redonda município do Rio de Janeiro, eles passaram a seguir o posicionamento do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, negando as liminares, julgando improcedentes as ações em 1ª instância.

O CREF1 decidiu manter a orientação quanto à distinção dos cursos de licenciatura e bacharelado, conforme resoluções 01/2002, 02/2004 e 07/2004, disciplinada pelo Sistema CONFEF/CREF1s, muito embora não tenhamos consenso quanto à sua contribuição para a categoria.

O tema gera insatisfação na nossa categoria, mas enquanto a resolução do MEC não mudar não podemos fazer nada, e destaco que não tem nada de inconstitucional nas ações dos CREFs, por isso sempre recomendo que todos busquem formação nos dois cursos, apesar de nunca ter sido consultado como todos os colegas que militam na profissão, sempre respeitando os colegas que pensam ao contrário.

sexta-feira, 19 de julho de 2013

segunda-feira, 15 de julho de 2013

A Educação Física e as benesses do poder

Se realmente o Governo, leia-se presidente Dilma, tivesse interesse em mudar esse país, bastava efetivar essas ações que independem de consulta popular e manipulações políticas, a saber:

  • Reduzir o número de Ministérios para 10; 
  • Realizar levantamento anual dos bens de todos os políticos, diretores, conselheiros, desembargadores e Ministros através da fiscalização da Receita Federal, compatível com a renda;
  • Aumento salarial dos políticos/juízes/promotores e demais órgãos públicos com mesmo índice oficial determinado pelo governo;
  • Reduzir em 50% os gastos com funcionários não concursados e mordomias no governo, tipo aviões, helicópteros, viagens e cartões de crédito corporativo, por exemplo.
Pronto Presidente Dilma! Com quatro providências, que independem de aval do Legislativo e do Judiciário, teremos a voz das ruas atendidas em 100%......sabemos que vai ser difícil, há pressão de todos os lados, mas é o primeiro passo.

A mobilização popular passa pelas estruturas partidárias e de organizações que no passado representavam os anseios da sociedade, refiro-me à União Nacional dos Estudantes (UNE), e aos Sindicatos, hoje anestesiados com as benesses do poder, co-responsáveis por tudo que vem acontecendo no Brasil.

Fica claro que essa política de benesses contaminou todo o serviço público Municipal, Estadual e Federal, em todos os níveis, Executivo, Legislativo e Judiciário. E por que não afirmar que também estamos nesse bolo, a Educação Física com suas representações com os Sindicatos, APEFs e principalmente o sistema CONFEF/CREFs ocupadas por pessoas com interesses de se perpetuarem utilizando as benesses do poder.

Presidente Dilma a hora é esta, de mudar o Brasil e definitivamente a senhora com uma canetada pode fazer isso!
 

terça-feira, 9 de julho de 2013

Será que acordamos mesmo?


Demorou... Não se dizia que nossa juventude era alienada? um povo que se reúne única e exclusivamente para pular nos trios elétricos, se divertir em shows, e marchar em passeatas gays ou para evangelizações de todas as religiões...demorou!

Mas o governo cedeu à voz das ruas...somos o país com uma das maiores cargas tributárias do mundo, e em troca o governo Executivo, Legislativo e Judiciário, retribui com inflação alta, mais impostos, saúde e educação de baixa qualidade, corrupção no funcionalismo público, mensalão, mordomias e nepotismo aos montes no Judiciário...enfim vivemos num país onde quem está no poder tem direito a tudo, inclusive a roubar a vontade.

Demorou!..Medidas como 75% do petróleo (pré-sal) para educação é demagógica e eleitoreira. O país tem dinheiro, porém ter mais dinheiro não vai mudar a educação, se isso fosse verdade os municípios do Norte Fluminense, que recebem fortunas de royalties do petróleo, estariam com elevados índices de qualidade na educação e na saúde, e não é isso que acontece.....

Mais dinheiro gera mais corrupção.....precisamos urgente de um plano nacional de educação, passar a limpo a educação...ampliar os controles, inserindo as organizações populares nas comissões de controle, precisamos de transparência e prestação de contas abertas, nada de caixa preta.......aí sim a nossa Presidenta estará fazendo uma revolução no padrão de vida dos brasileiros....

O pior de tudo é que não podemos contar com os sindicatos, organizações estudantis, Conselhos profissionais, e até instituições religiosas  porque todos se lambuzam no melado das benesses do governo.......o novo plano tem que inverter a prioridade na educação e dar prioridade a salários dignos, a uma educação básica de verdade, só assim mudaremos esse país!

AH! ... Educação Física com suas instituições,  também estão se lambuzando nas benesses do governo??.... Diga você....
 

Acesse o meu Facebook aqui.

terça-feira, 2 de julho de 2013

Grupos organizados tentam reverter a mobilização


A hora é de tentar reverter o resultado do jogo.....os governantes, partidos, sindicatos, políticos e organizações ditas estudantis perderam espaço junto a sociedade, foram atropelados pela mobilização popular. A princípio ficaram quietinhos, perplexos, e quando tentaram participar das passeatas, foram rechaçados e, provavelmente por isso, optaram pela baderna, pela infiltração, e pelo vandalismo....ou vocês acreditam que essa onda de destruição e depredação foi algo espontâneo....?

Claro que foram os excluídos que tentaram e continuam tentando radicalizar com os protestos para não perderem suas boquinhas no governo.....um governo aparelhado, ocupado em todos os níveis por sindicalistas e políticos pelegos, estudantes ? Que estudantes??? A UNE, UMES....ah! Todos chapa branca, os verdadeiros estudantes estavam nas ruas enquanto os dirigentes das agremiações estudantis viajam pelo mundo a custa do seu, do meu, do nosso dinheiro......

Nossa Presidenta, bem orientada por seu guru, mudou o discurso com um único objetivo: culpar o Congresso pela mazela - entenda CORRUPÇÃO - no país.

O povo não quer mudar o jogo político, fazer plebiscito, isso é desviar do foco das reivindicações....queremos os corruptos na cadeia, queremos o fim das mordomias em todos os níveis inclusive no Judiciário, queremos justiça igual pra todos....queremos participar, ser ouvidos, não ficar a mercê de um Congresso também chapa branca.

Agora vejo passeatas organizadas pela UNE, Sindicatos e até partidos.......É brincadeira!  Como são covardes....como são cínicos....não vamos dar espaços para essas instituições falidas, desgastadas, atrasadas, elitistas e principalmente perversas.

O que o povo pediu e pede nas ruas do Brasil, guardada as devidas proporções, é o que toda Educação Física vem exigindo das suas instituições....


Clique aqui e comente também no Facebook.





Vamos passar a limpo a EDUCAÇÃO FÍSICA

Depois de resistir todos esses anos, e por não ter como atender a demanda dos colegas somente com um blog, a partir de hoje passo a fazer parte do Facebook....

É importante destacar que vamos debater temas referentes, única e exclusivamente, à EDUCAÇÃO FÍSICA...qualquer tema, qualquer assunto, não vamos censurar de forma nenhuma, apenas enfatizamos que esse canal não será instrumento de partidos políticos, como também não aceitaremos posições xenofóbicas, sejam elas quais forem......

Será o Facebook da EDUCAÇÃO FÍSICA......discutiremos tudo, de todos os segmentos, sempre buscando esclarecimentos com colegas que militam em todas as áreas, do estudante ao Professor......da escola à terceira idade.

Não é uma página pessoal, é da EDUCAÇÃO FÍSICA de todo o Brasil. Vamos democratizar e tornar mais transparente a realidade da nossa Educação Física!



 Venha fazer parte desse grupo!




terça-feira, 25 de junho de 2013

Terroristas ou manifestantes, o que importa?

O que distingue a época que eu corria da PM e da Polícia do Exército no Centro da cidade do Rio de Janeiro das passeatas de hoje, é que em 1968 éramos chamados de terroristas, subversivos. Éramos presos, torturados e condenados à prisão....lutávamos contra a ditadura, pela liberdade , pela democracia..

Hoje o movimento não é diferente daquela época, a população volta pra rua porque cansou de ler nos jornais, receber centenas, milhares de notícias via Facebook de casos de corrupção que se multiplicam e ninguém é preso, muito pelo contrário viram políticos, vereadores, deputados, senadores, ministros etc.

E não para por aí: hoje ser sindicalista é uma grande oportunidade  de ser  governo e/ou deputado e até senador, os partidos, ah! os partidos....- servem única e exclusivamente para fazer negociatas,  o povo não acredita mais nos partidos políticos e o pior de tudo o que considero alarmante, e que tenho visto nestas passeatas pelo Brasil é que nossa corte suprema também esta aparelhada pelo governo, o Supremo Tribunal Federal busca no “jeitinho brasileiro” meios para absolver todos os mensaleiros.
E isso chegou a todos os níveis do poder e nossas entidades esportivas, seja a nível municipal, estadual e federal, como também as instituições da Educação Física estão seguindo à risca esse modelo.

Manifestantes ocupam a Av. Presidente Vargas na última quinta (20/06)

Pouco importa que as passeatas e seus manifestantes não tenham exigências claras, disparem em todas as direções. Pouco importa que não se tenha liderança perceptível. Pouco importa que exista uma minoria de meia dúzia de baderneiros  e vândalos  no seu meio, esses bandidos sempre estão presente nas mobilizações populares desde o início dos levantes ainda na época do império...Mas importa e importa muito ver que o povo acordou! Que o povo quer democracia, que a voz do povo que estava sufocada pelas redes de comunicação, agora com a universalização da internet, não quer permanecer calada!!!

A Educação Física também esteve nas passeatas do Rio de Janeiro,  estudantes e professores juntos por um Brasil melhor!

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Educação Física vai pra rua com a população



Desculpem o intervalo sem comunicação. No momento estamos envolvidos com as passeatas no Rio de Janeiro contra a corrupção e com a exigência de transparência com o dinheiro público, lutando principalmente para que esses gastos sejam com as questões que afetam o cidadão...

Nosso blog tem se posicionado, repetitivamente, contra a tirania na nossa profissão, fisiologismo, nepotismo e negociatas envolvendo a Educação Física, com certeza reflexo do momento político de impunidade que vive o Brasil.

 
Estamos na rua junto com a população e você ?

terça-feira, 11 de junho de 2013

Repercute em todo Brasil: ditadura, tirania na Educação Física

Selecionamos alguns dos e-mails que recebemos. Vejam o que pensam a categoria do nosso Conselho:



“Bom dia Prof Ernani!

Os governos do 1º mundo atualmente falam em DESBUROCRATIZAÇÃO  e DESREGULAMENTAÇÃO.
Tudo isso significa encurtar o caminho da SOLUÇÃO.
Esse texto que tu me mandas mostra o quão desqualificado e mal intencionado é este Sistema CONFEF.
Eu acabei estudando Direito, após assumir o SINPEF-RS principalmente para me defender justamente de segmentos do CREF da minha região fora outros implicados em representações políticas. Claro quem não só na forma jurídica, como também na política, burocrática e representativa. Como não vivo deste meio, e nem faço mínima questão, não me movimentei mais na defesa destes princípios, até porque os mais interessados ( prof. de Ed. física), na sua grande maioria, nem se quer buscam se informar de suas próprias realidades.
Então... às vezes parece "radical" a ideia de que se um "SISTEMA" não funciona no progresso do interesse comum de uma categoria, o mesmo deve ser INSTINTO, ou devidamente REFORMULADO. Para isso deve ser processado pela parte que o defende SINDICATO.
Claro que isso é trabalho para HOMEM, pois OPORTUNISMO é prática de COVARDES que não tem condições, nem vontade de trabalhar.
Por isso, que hoje, quem me conhece não me oferece cargos políticos, mas sim executivos com devida atribuição competente e de remuneração justa. Eu me nego a receber dinheiro suado da categoria para fazer de conta que está trabalhando por ela, quando na realidade a está explorando”.
Grande abraço,

Prof. Alexandre Iserhard Ferreira (RS)

“Professor : - Sabe o que vejo Prof. Ernani, é que o pequeno grupo com intenções escusas, te usaram assim como me usaram aqui no Sul na época de campanha para formação do conselho. Depois deram chapéu naqueles que realmente queriam um conselho de verdade e fizeram o que fizeram e estão fazendo até hoje... Explorando a categoria!”

Professor Wab (RS)

“O que me confere o título de especialista é o certificado de conclusão de curso de pós-graduação lato-senso. O CONFEF, agora, vai usurpar a competência do MEC e dar reconhecimento aos cursos e títulos de especialista? É uma tentativa de seguir a Medicina? Pergunta: se eu fizer um curso de especialização em Educação, ou em Administração ou qualquer outra área de conhecimento que não se relacione diretamente com a Educação Física, serei impedido pelo CONFEF de ostentar o título de especialista? Com que base legal?”

Roberto Correa (RJ)

“Conselho Federal e Regional  é uma praga nacional. Tudo neles é autoritário, e de uma incompreensão básica do que é Educação Física”.

 Antonio Melo (SP)



terça-feira, 4 de junho de 2013

Brasileiros deixam de fazer atividade física

Leiam a mensagem que recebi da Prof. Patrícia

“Ernani fiquei curiosa para saber o quanto os Brasileiros diminuíram suas atividades físicas, uma das pesquisas que encontrei foi uma pesquisa do Ibope sobre hábitos dos brasileiros em relação à saúde cardíaca que foi divulgada em outubro de 2012 e revela que, apesar de a maioria das pessoas demonstrar preocupação com o coração, a minoria faz algo efetivamente para prevenir doenças no futuro.

O estudo titulado "Coração sob controle" foi realizado em agosto/2012 com 2.002 participantes (52% mulheres e 48% homens) de todas as regiões do país, na faixa dos 15 aos 50 anos. Uma das perguntas da pesquisa era :

VOCÊ PRATICA REGULARMENTE UMA ATIVIDADE FÍSICA?
HOMENS: 37% SIM 63% NÃO
MULHERES: 27% SIM 73% NÃO

Podemos constatar está real diminuição".
GRANDE ABRAÇO,
PATRÍCIA

Temos uma profissão regulamentada desde 1998....E desde esse período foram arrecadados no Sistema CONFEF/CREFs mais de 400 milhões de reais....e o interesse pela prática de atividade física vem caindo ano a ano?????? Por quê??? Quais as razões????

Sugestão: que tal acabar com festas, congressos em paraísos turísticos, propagandas de políticos e amigos na Globo, plenárias em hotéis de luxo, e durante cinco anos, intensificarmos uma campanha na mídia, principalmente na Globo, esclarecendo à população sobre os benefícios da atividade física orientada?

Com a palavra os Conselheiros do CONFEF e Presidentes de CREFs.

terça-feira, 28 de maio de 2013

Em São Gonçalo a Educação Física tem espaço garantido!

Com a intenção de atender à comunidade escolar do município de São Gonçalo no Rio de Janeiro, a prefeitura  pensou em utilizar a  malvada resolução do CNE 07/2010, que permite que regentes de turmas assumam as aulas de Educação Física no ensino fundamental...

Vários colegas procuraram o CREF1 e o Sindicado dos Profissionais de Educação Física, comunicando o fato....imediatamente foi acionada a Câmara de Educação Física Escolar do Conselho, que marcou uma reunião com a Secretaria de Educação do município. E juntos, numa parceria inédita, mantiveram e ampliaram a atuação dos Profs. de Educação Física na rede escolar:

A Secretaria Municipal de Educação de São Gonçalo, do Estado do Rio de Janeiro,  Profª Regina Santos,  sensível aos argumentos  da categoria e com uma rara demonstração de sentimento democrático, de humildade e de compreensão do real papel de um administrador público resolveu:

1. Não irá mexer com nenhum professor que hoje se encontra ministrando aulas para os anos iniciais do Ensino Fundamental. Para resolver o problema da carência de forma imediata, utilizará a estratégia da hora extra (dupla regência), o que melhora as condições financeiras dos nossos colegas.

2. Já encaminhou a mudança da legislação que permitirá a realização do concurso para, a partir de 2014 atender a todas as escolas da rede e, para nossa satisfação, a partir da Educação Infantil, ou seja, teremos Educação Física nas creches e pré-escolas de São Gonçalo, além das turmas do Ensino Fundamental.

3. O CREF1 auxiliará na construção do currículo, ou seja, da proposta pedagógica de Educação Física para a Educação Infantil.

4. Toda a capacitação dos colegas que hoje atuam nesse seguimento, assim como dos novos colegas aprovados em concurso em 2014 será realizada pelo CREF1.

Isso é Conselho, isso é categoria unida em defesa da EF...... Roberto Correa, Marina Guedes  e Eduardo Cossenza falaram direto com a Secretaria de Educação, mostrando o quanto é importante para a sociedade e principalmente para as crianças uma Educação Física com qualidade, e qualidade em atividade física somente é possível com a orientação de Profissionais de Educação Física

PARABÉNS A TODA CATEGORIA DO RIO DE JANEIRO EM ESPECIAL AOS COLEGAS DE SÃO GONÇALO

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Passeata de protestos em Minas Gerais pela Educação Física na Escola

O ato de protesto de sábado (11/05) reuniu professores, pais de alunos, alunos, e representantes da sociedade local  em Minas Gerais para uma manifestação contra a suspensão das aulas de Educação Física do 1º ao 5º ano.


Os regentes de turmas do ensino fundamental, como também o sindicato dos professores, aderiram à causa numa passeata realizada no Centro do município de Coronel Fabriciano (MG).  Juntos os manifestantes reforçaram a luta nacional contra a decisão do MEC de acabar com a Educação Física na escola.

O Prof. Roberto Correa do Rio de Janeiro se manifesta, apoiando os colegas de Minas e pergunta:

E onde estão o CREF (Minas) e o CONFEF nessa luta? As mães e a criança se manifestaram muito melhor do que o presidente do Conselho na outra matéria. As professoras... nem se fala!”

Tenho dito sempre: a valorização do profissional passa, necessária e obrigatoriamente, pelo reconhecimento da sociedade. Que bela demonstração. Sinal de que esses professores, nesse município, vêm desenvolvendo um belo trabalho. E duvido muito que as dificuldades que eles enfrentam sejam menores do que as dos demais.

Enquanto nosso Conselho Maior mantiver essa política "hugo-chavista" (foi-se ele mas ficou o espírito), poucas esperanças temos de ver nossa entidade, de fato, abraçar e conduzir as causas de nossa profissão.

Todo apoio às iniciativas dos bravos que, declamam "apesar de você (Jorge H.C. Steinhilber), amanhã há de ser outro dia".


Veja o vídeo na galeria do site http://www.cref1.org.br/galeria-videos.php

terça-feira, 14 de maio de 2013

Está chegando a hora da Educação Física fazer barulho


Não é nenhuma novidade a alienação e até a ignorância do profissional de Educação Física para assuntos políticos - por acreditar que os Conselhos da Profissão e Sindicatos não podem interferir na sua vida profissional ou por medo de represálias - é raro ver professores protestando por maior envolvimento dos dirigentes com as necessidades da categoria.

O descaso dos nossos dirigentes tem sido tão grande que é possível ouvir, aqui, acolá, algumas vozes se manifestando. Nas últimas semanas o principal alvo da reclamação foi a aceitação por parte de toda liderança brasileira do fim da Educação Física escolar do 1º ao 5º ano do ensino fundamental, através da resolução 07/2010 do CNE.

É curioso ver essa situação já que com a criação da nossa profissão em 1998, muito se falou que a partir dessa data estaria surgindo uma nova Educação Física, com crescimento e fortalecimento da profissão não só como educação, mas também como profissão da saúde, e diziam mais, com legitimação por toda sociedade.

Mas não é isso que estamos constatando. Pelos últimos acontecimentos, o que ocorre é exatamente o contrário, pouco a pouco vamos perdendo espaço de trabalho, nossos dirigentes envaidecidos desfilam pelos ministérios do governo em plena sintonia com os políticos, que por sua vez, ano após ano, vêm minando a profissão, com leis e resoluções que restringem nosso espaço no mercado de trabalho.

É difícil imaginar grandes engajamentos no país, está tudo dominado, tudo controlado, mas podemos via rede social, fiscalizar, denunciar, exigir, e até fazer uma grande campanha nacional lutando e buscando democracia, transparência, mudança de postura, e principalmente retirada imediata de todos os dirigentes que se perpetuam no poder, com manobras e manipulações estatutárias.

Esse blogueiro vai continuar fiscalizando, mas temos que multiplicar criando mais blogs, mais notícias nas mídias sociais. Não podemos desistir, pois ainda acreditamos que em breve teremos uma profissão de verdade!


“QUE DEUS NOS DÊ FORÇA, PARA CONTINUAR LUTANDO MESMO QUE SEJA SEM ESPERANÇAS” (Nimitz).

terça-feira, 7 de maio de 2013

Mais dinheiro e menos atividade física !!!!

Um estudo com ênfase em atividade física concluiu que “o mundo parou de se movimentar”. Segundo a pesquisa, que também apresenta um plano de ação, apenas algumas gerações mantém a atividade física como parte integrante da vida diária.

Em nome do progresso, segundo o estudo, nós a removemos tão completamente que a inatividade física parece realmente normal, e as pesquisas ainda concluíram que quanto mais rápido as economias crescem mais rápido as populações desaceleram.

No Brasil de 2002 tivemos uma diminuição de 6% de pessoas que deixaram de fazer qualquer atividade física e na projeção feita em 2007 - fiquem atentos estamos falando que essa conclusão foi em 2007 - menos 34% deixaram de fazer atividade física devido à ascensão econômica da população.
Com isso, concluímos que quanto mais dinheiro ganhamos, menos atividade física praticamos.....
O que mais chamou a minha atenção nesse estudo foi concluir que a prioridade imediata seria de quebrar os ciclos de inatividade física onde eles já estão enraizados, sugerindo trabalharmos essa mudança, aumentando o percentual ou até atingindo todos os fisicamente ativos. E o destaque na nossa análise é concentrar nas crianças, antes dos 10 anos de idade, assim mudaremos a próxima geração. A proposta conclui que conforme essas crianças caminham para a adolescência, começam a traçar um plano para sua vida adulta...crianças que gostam de ser ativas tem maior probabilidade de serem adultos ativos.

Não vou entrar em detalhes dos gastos com hospitais e saúde dos governos devido a inatividade física, todos sabemos disso. Convidamos você leitor a ACESSAR www.designedtomove.org/ para conhecer esse plano de ação com toda sua estrutura e instituições envolvidas.

Enfatizei 2007 porque hoje com certeza os números são outros no Brasil, principalmente com o fim da Educação Física na escola, (resolução 07/2010 do CNE) o percentual de 34% projetado para 2012, deve ser atingido e ainda em 2015.....porque o hábito de fazer exercício e atividade física começa na escola....

terça-feira, 30 de abril de 2013

Discriminação na formação dos Profissionais de Educação Física

Uma resolução do Conselho Federal de Educação Física (CONFEF) pretende estabelecer um novo registro para Profissionais registrados no Sistema: o registro de Especialista.


A novidade vai gerar status, diferenças e discriminações na categoria...na contramão de todos os Conselhos profissionais todos são iguais. Esse é o espirito que rege a criação dos Conselhos.

Conselhos Profissionais que não discriminam seus registrados. Afinal médico é médico, sempre médico no Conselho de Medicina, engenheiro é engenheiro no Conselho de Engenharia, advogado é advogado na OAB......quem quer o título de especialista que busque as Sociedades especializadas, tais como Sociedade de Pediatria, Sociedade de Cardiologia e assim sucessivamente........mas para os  para os Conselhos profissionais todos são iguais. Esse é o espirito que rege a criação dos Conselhos.
 

Já o de Educação Física resolve por pura vaidade, ou por outros objetivos não revelados, criar centralizar tudo e todos que trabalham e/ou estudam Educação Física.......
Apesar da sugestão do representante do CREF1 na plenária de fevereiro ano corrente, de fomentar, incentivar e apoiar a criação das sociedades especializadas, o Presidente Jorge Steinhilber insiste em fazer do Conselho Federal sua empresa familiar não permitindo desdobramentos que podem colocar em risco sua tirania, ..claro, claro, claro, tudo é possível e aceitável, mas desde que os atuais conselheiros permaneçam no poder ...Não, não é. Brincadeira, tampouco estamos deturpando os fatos ...por mais absurdo que possa parecer é a pura verdade.......

A resolução não respeita sequer a autonomia dos Conselhos regionais, determina que para ser especialista, tem que ter o aval dos Conselheiros Federais........é mole????
Com certeza os Tiranos que fizeram história à frente dos governos (Hitler, Stalin, Hugo Chaves) por se considerarem Deus, estão se revirando nos túmulos com inveja de tamanha lição de domínio, e de controle.
O fato é tão grave que nem as faculdades de Educação Física, os Sindicatos, as Associações, os conselheiros e mesmo os colaboradores dos conselhos regionais foram consultados. Ninguém, nada chegou aos milhares de profissionais que sustentam com suas anuidade o Conselho.....e chega ao extremo quando se destaca no art 6º que a criação e EXTINÇÃO de especialidade será iniciativa somente do Conselho Federal, e os Conselhos regionais serão apenas postos de inscrições , serviço de office boy .....

A Câmara de Coordenadores e Diretores dos cursos de Educação Física do Rio de Janeiro repudiaram por unanimidade essa resolução, e desde 2011 vêm repudiando esse tipo de manobra, que discrimina profissionais de Educação Física.

Não podemos ficar omissos, temos que multiplicar nas redes sociais nossa indignação, somos uma PROFISSÃO REGULAMENTADA! Quem desejar ser especialista, basta se organizar e criar as Sociedades especializadas....como na Medicina, mas sempre, sempre mesmo, no nosso órgão máximo da profissão, temos que ser, todos sem exceção iguais!



MINUTA de RESOLUÇÃO CONFEF nº __

Dispõe sobre Especialidades Profissionais em Educação Física.

O Conselho Federal de Educação Física, no uso das atribuições que lhe confere a Lei nº 9696/98, e
CONSIDERANDO a Lei 9394, de 20 de dezembro de 1996, que dispõe sobre as Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDBEN;
CONSIDERANDO a Resolução Nº 046, de 18 de fevereiro de 2002, do Conselho Federal de Educação Física, que dispõe sobre a Intervenção do Profissional de Educação Física e respectivas competências e define seus campos de atuação profissional;
CONSIDERANDO a Resolução Nº 07, de 31 de março de 2004, do Conselho Nacional de Educação, que Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Educação Física;
CONSIDERANDO as exigências no campo de trabalho do Profissional de Educação Física decorrentes dos avanços científicos e tecnológicos, que determina o surgimento de novas áreas de intervenção caracterizadas por conhecimentos verticais mais aprofundados e específicos;

CONSIDERANDO a sua missão de dotar a sociedade de parâmetros de aferição da qualidade do exercício profissional, bem como as exigências do campo de trabalho do Profissional de Educação Física decorrentes dos avanços científicos e tecnológicos da área específica e de áreas correlatas;

CONSIDERANDO a importância da formação profissional em nível de Especialidade para o desempenho de funções específicas e próprias do exercício profissional, com segurança, competência e responsabilidade ética;

CONSIDERANDO que as Especialidades Profissionais são definidas pelos Conselhos de Profissões Regulamentadas e visam à qualificação específica para o exercício de uma determinada área de intervenção da profissão;

CONSIDERANDO os estudos realizados pelo Grupo de Trabalho sobre Especialidade Profissional em Educação Física do CONFEF, no ano de 2006, pela Comissão de Ensino Superior e Preparação Profissional do CONFEF, nos anos de 2010 e 2011; e a Oficina Temática sobre Especialidades Profissionais, realizada pela Comissão de Ensino Superior e Preparação Profissional do CONFEF, com a participação dos Presidentes de Conselhos Regionais de Educação Física, e o que foi aprovado em Sessão Plenária do Conselho Federal de Educação Física, realizada em 26 de dezembro de 2011.


RESOLVE:
Art. 1º Definir Especialidades Profissionais em Educação Física como um conjunto de habilidades e competências específicas da profissão que aprofunda conhecimentos e técnicas próprias necessárias ao exercício profissional de um determinado tipo de intervenção;

Art. 2º A Especialidade Profissional em Educação Física visa à atuação profissional específica e se destina, exclusivamente, ao Profissional de Educação Física que já concluiu o curso de graduação.

§ 1º – O que define o campo de intervenção do Profissional de Educação Física é o curso de graduação (Licenciatura ou Bacharelado).

§ 2º – O título de Especialista é uma referência ao domínio de um conhecimento específico por parte do Profissional de Educação Física e visa à melhor qualificação da sua intervenção profissional na área objeto da especialidade.

§ 3º– A especialidade profissional deverá observar a relação entre a formação em nível de graduação e os domínios da intervenção profissional da Licenciatura em Educação Física e do Bacharelado em Educação Física.

Art. 3º As especialidades profissionais em Educação Física configuram-se a partir do seguinte conjunto de critérios gerais, relevantes para a área de conhecimento e para a sociedade:
I - complexidade e acúmulo do conhecimento específico necessário para o exercício profissional com qualidade e segurança em um determinado campo de intervenção na área considerada;
II - relevância profissional e demandas sociais definidas;
III - programa de treinamento teórico e prático;
IV - métodos e técnicas que propiciem aumento da eficiência e eficácia da intervenção profissional, segurança e conforto ao beneficiário.

Art. 4º A especialidade profissional será obtida por meio de curso específico que observará os seguintes critérios:

I – duração mínima de 360 (trezentas e sessenta) horas, devendo ser ampliada de acordo com a complexidade da especialidade;
II – carga horária total do curso que vise à obtenção de uma especialidade profissional deve contemplar exclusivamente o objeto de estudo da Especialidade;
III- carga horária total do curso que vise à obtenção de uma Especialidade Profissional deve assegurar, obrigatoriamente, aplicação prática dos conteúdos objeto da especialidade;
IV – apresentar coerência, compatibilidade e adequação da proposta de trabalho em relação aos conteúdos, objetivos, atividades práticas e orientação de trabalho de conclusão da especialidade profissional.
V – não computar a realização do trabalho de conclusão da especialidade nas 360 (trezentas e sessenta) horas mínimas exigidas para a integralização da formação;
VI – manter o programa/conteúdo de ensino, os laboratórios e equipamentos onde se desenvolva o curso atualizado e compatível com as especificidades da especialidade e com o número de participantes;
VII – ter o corpo docente composto prioritariamente por doutores, mestres e especialistas;
VIII- ter o corpo docente devidamente registrado no seu respectivo Conselho Profissional.

Parágrafo Único: Para obtenção do título de especialista junto ao Sistema CONFEF/CREFs o Profissional de Educação Física deve comprovar a conclusão da formação e experiência de, no mínimo, 1 (um) ano na especialidade cujo título está sendo solicitado;

Art. 5º O CONFEF poderá reconhecer Especialidades Profissionais nas diferentes modalidades desportivas, mediante formalização em instrumento jurídico próprio, acompanhada de parecer fundamentado e submetida à aprovação do Plenário.
 
Art.6º A criação e/ou extinção de especialidade Profissional em Educação Física será de iniciativa do CONFEF, acompanhada de parecer fundamentado e submetida à aprovação do Plenário.

Art. 7º A solicitação de registro de especialidade profissional será requerida pelo interessado diretamente ao respectivo Conselho Regional de Educação Física que efetivará protocolo e remeterá para o CONFEF que fará análise da solicitação à luz da documentação apresentada, emitirá parecer final e indicará o registro da Especialidade, quando de direito.

Parágrafo Único: O processo de registro de especialidade junto aos Conselhos Regionais em Educação Física terá início no ano de 2014, em data a ser fixada posteriormente pelo CONFEF.

Art. 8º Os Profissionais de Educação Física, que na data da publicação desta Resolução exercem uma das Especialidades Profissionais definidas pelo CONFEF, poderão solicitar o apostilamento de tal Especialidade, diretamente aos respectivos Conselhos Regionais de Educação Física.

Art. 9º Esta Resolução entrará em vigor na data de sua publicação, revogando-se as disposições em contrário.

Jorge Steinhilber
Presidente CONFEF